Logotipo | Portal CDL Barra Mansa

CERTIFICADO DIGITAL

Faça conosco seu cartão de segurança em transações online.

Saiba mais

UNIMAX

Plano de Saúde com a melhor tabela da cidade.

Saiba mais

SPC CONSULTA

Associado, faça aqui suas consultas de SPC.

Realizar Consulta

Setembro Amarelo. Esse é o momento do ano em que mais se fala sobre suicídio, depressão e transtornos associados. E todos podem ajudar!

Ícone - Data de Publicação 02/09/2019      Ícone - Autor Thais Mattos



Foto - Setembro Amarelo. Esse é o momento do ano em que mais se fala sobre suicídio, depressão e transtornos associados. E todos podem ajudar!

< Voltar para notícias



Segundo pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Familiares Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata), 66% das pessoas conhecem alguém com depressão severa, e 41% afirmam terem conhecido alguém que cometeu suicídio.


Se para quem vive esta realidade pode ser difícil entender e falar sobre seus sentimentos, para os que estão de fora, é ainda mais desafiador. É imprescindível que, ao tratar de um assunto delicado como este, as pessoas saibam a melhor forma de disseminar informações de maneira sensível e responsável.


Celso Lopes de Souza, psiquiatra, educador e fundador do Programa Semente – programa estruturado de aprendizagem socioemocional –, o primeiro erro com relação ao tema do suicídio é não falar sobre ele.


 Suicídio é coisa séria


A Organização Mundial da Saúde aponta que o suicídio é a segunda causa de morte que mais atinge os jovens de 15 a 29 anos no mundo. Além disso, só no Brasil, uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos.


Não precisa ter medo de falar sobre suicídio


“Já está mais do que comprovado que falar sobre o assunto não agrava a situação, muito pelo contrário, pode ajudar a tratar as pessoas que tenham essa intenção”, diz o psiquiatra Celso.
Segundo o levantamento do Ibope, o pensamento suicida não é levado a sério entre 28% dos homens e 32% das pessoas acima de 55 anos. Celso explica que as pessoas que tem ideação suicida vivem os 3 “is”: “sentem que a dor é impossível, insuportável e interminável, o que leva ao desejo de querer tirar a própria vida. Elas claramente não conseguem perceber sozinhas que esses "3i's" são distorções de percepção da realidade, por isso precisam de ajuda”.


 É possível prevenir o suicídio


Falar sobre os sintomas que podem surgir antes e durante uma intenção de suicídio é fundamental para que a pessoa busque ajuda. “Sinais como isolamento, corte de planejamentos futuros, uso de substâncias psicoativas e mensagens de despedida são alguns pontos que devem ter atenção especializada”, explica ainda o psiquiatra. Também há como prevenir os distúrbios psiquiátricos por meio da aprendizagem socioemocional, em que crianças e adolescentes aprendem na escola sobre empatia, resiliência, autoconhecimento e autocontrole, por exemplo.
As campanhas de prevenção são fundamentais.


O Setembro Amarelo é uma oportunidade de conscientizar as pessoas e promover a discussão sobre o tema do suicídio e mostrar que sempre há uma saída e, segundo, tudo passa.
A CDL de Barra Mansa está engajada na campanha de conscientização e durante todo o mês de setembro a equipe da entidade utilizará uma fitinha amarela em seu uniforme. 
Sim, todos podem ajudar, todos podem ouvir, todos podem falar para que vidas sejam salvas!


Fonte: Metro Jornal





< Voltar para notícias



Compartilhar:

CURSOS E EVENTOS





CONECTE-SE ÀS REDES SOCIAIS

Acompanhe as redes sociais da CDL Barra Mansa e fique por dentro de todas as novidades!