Logotipo | Portal CDL Barra Mansa

CERTIFICADO DIGITAL

Faça conosco seu cartão de segurança em transações online.

Saiba mais

UNIMAX

Plano de Saúde com a melhor tabela da cidade.

Saiba mais

SPC CONSULTA

Associado, faça aqui suas consultas de SPC.

Realizar Consulta

Como funciona o Impostômetro?

Ícone - Data de Publicação 25/05/2018      Ícone - Autor Thais Mattos



Foto - Como funciona o Impostômetro?

< Voltar para notícias



O impostômetro é uma rede automatizada que recebe os dados de todo o Brasil e informa os valores em um painel. Criado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, o mecanismo computa os tributos federais, estaduais e municipais e é atualizado em tempo real no endereço www.impostometro.com.br.


O que mais pesa na conta é o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), com 20,09% do total. “O ICMS incide em praticamente tudo que as pessoas consomem”, explica Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo, que mantém um painel da contagem do Impostômetro no centro da capital paulista. Em seguida, vêm a contribuição para o INSS (17,26%) e o Imposto de Renda (16,82%).


O objetivo dos criadores do Impostômetro é mostrar quanto o país recolhe em tributos para que ele possa cobrar do governo a melhor utilização do dinheiro.


Como ele funciona?
1) Diversos órgãos do governo, como a Receita Federal, enviam os dados para o sistema do Impostômetro. Todas as fontes são oficiais, ou seja, nada de especulação. Entram na soma: impostos, taxas e contribuições, multas, juros e correção monetária.


2) Os dados usados são sempre um valor projetado, baseado nos impostos cobrados. O valor que é de fato arrecadado geralmente traz uma margem de diferença de 2 a 3,5%, para mais ou para menos. Quando os dados reais são divulgados, o total é corrigido.


3) Todos os valores projetados são enviados e somados antes do Réveillon. À meia-noite do dia 1º de janeiro, o painel é zerado e recomeça a contagem: a cada fração de segundo, é adicionada uma quantia do volume total que foi previsto.


4) Em um dia, a média de arrecadação é de R$ 3,91 bilhões. O Sudeste responde por 64,19% desse montante, o Sul, 13,44%, o Centro-Oeste, 10,48%, o Nordeste, 8,77%, e o Norte, 3,12%. Só para pagar impostos, o brasileiro trabalha 150 dias do ano.


5) Uma contagem feita em 1 de novembro de 2017, a “calculadora” chegou a R$ 1,8 trilhão em impostos. Veja o que dá para pagar com esse valor:
33 milhões de casas populares;
4 bilhões de cestas básicas;
3.200 aeroportos;
69 milhões de carros populares;
20 milhões de smart TVs de última geração com tela de 85 polegadas


Contagem em 2018:
A constatação feita pelo IMais foi de R$ 879 bilhões em impostos já arrecadados somente neste ano, segundo dados do Impostômetro.
Para se ter uma ideia, com esse valor seria possível adquirir quase seis milhões de apartamentos de moradia popular.
No portal www.impostometro.com.br é possível visualizar valores arrecadados por período, estado, município e categoria, além de acessar outras informações.
Acesse e veja qual a marca de bilhões de reais que já foram arrecadados de impostos até esse exato momento.

Fontes: Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), site do Impostômetro; CONSULTORIA Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo; ES Hoje





< Voltar para notícias



Compartilhar:

CURSOS E EVENTOS





LANÇAMENTO DA CAMPANHA DE NATAL 2018

CAFÉ DA MANHÃ

27/06/2018 07:30h CDL Barra Mansa

Uma rede de contatos com objetivo de conhecer as ações da Entidade em prol do movimento lojista.

CONECTE-SE ÀS REDES SOCIAIS

Acompanhe as redes sociais da CDL Barra Mansa e fique por dentro de todas as novidades!